sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Um documento para chamar de meu

Breve Histórico da Cartografia - Mapas

Cartografia é uma ciência voltada para a elaboração de mapas, unindo conhecimentos científicos, técnicos e artísticos.
Pode-se dizer que a cartografia surgiu na antiguidade, pois encontramos representações de mapas na Grécia Antiga, Império Romano, Mesopotâmia, entre outros povos antigos. Evidentemente que os cartógrafos da época antiga não tinham muitos recursos para produzirem mapas com precisão. Os mapas antigos eram repletos de imperfeições, principalmente, no que se refere à proporcionalidade. Mesmo assim, serviam de referência para viajantes e comerciantes da época, que necessitavam muito destas informações para planejarem suas viagens.

Na época das Grandes Navegações e Descobrimentos Marítimos (séculos XV e XVI), os cartógrafos foram extremamente importantes. Cada expedição levava um especialista em mapas, pois era importante que as embarcações não se perdessem nos vastos oceanos. Foi no século XVI que os primeiros mapas do continente americano e também do Brasil foram elaborados.
Atualmente, os cartógrafos contam com informações gráficas enviadas por satélites. Estes dados chegam com total precisão, cabendo ao cartógrafo interpretá-los e organizá-los de forma científica. Computadores avançados são utilizados nestas operações, oferecendo resultados de grande importância.

Sobre


Um mapa é uma representação visual de várias regiões. Estes mais conhecidos são representações bidimensionais de um espaço tridimensional. A ciência da fabricação e concepção de mapas designa-se cartografia. Por vezes a cartografia de debruça sobre a projeção de superfícies curvas sobre superfícies planas, no processo chamado planificação. Os mapas também são uma expressão da necessidade humana de reconhecer e representar o seu espaço.
Os mapas mais antigos que se conhecem foram encontrados na antiga cidade de Çattal Huyulk, na Turquia, e datam cerca de 6204 a.c; estando bem desenhados em uma parede. Existem também mapas em outras culturas ancestrais, como por exemplo na asteca, na esquimó, na mesopotâmica, etc. Com a invenção do papel os mapas passaram a ser desenhados em folhas (talvez daí subsista quase como sinônimo a palavra carta), mais concretamente do termo grego que designava as folhas de papiro usadas na execução dos mapas, e que era karte. O termo carta é normalmente usado para se referir a mapas antigos. Na Idade Média os mapas em uso na Europa eram frequentemente centrados em Jerusalém e com o Oriente para cima.
Um dos grandes passos na evolução dos mapas é dado na época dos descobrimentos, quando as áreas representadas eram bem maiores que anteriormente e havia a necessidade de obter bons níveis de precisão posicional para conseguir navegar com relativa segurança.

Aspectos da Cartografia

Se o mapa cobrir uma grande área da superfície terrestre, de modo a que a curvatura da Terra ou a ondulação do geoide possam já influir na medição de distâncias e na precisão pretendida na representação, ter-se-á de escolher uma projeção cartográfica. Matematicamente, esta é uma função que transforma coordenadas polares ou geodésicas (latitude, longitude) em coordenadas do plano do mapa. Necessariamente, isto provoca distorção.

Características gerais dos mapas:

Representação plana;
Geralmente em escala pequena;
Área delimitada por acidentes naturais (bacias, planaltos, chapadas, etc.), político-administrativos;
Destinação a fins temáticos, culturais ou ilustrativos.

Generalizando: Um mapa é a representação no plano, normalmente em escala pequena, dos aspectos geográficos, naturais, culturais e artificiais de uma área tomada na superfície de uma Figura planetária, delimitada por elementos físicos, político-administrativos, destinada aos mais variados usos, temáticos, culturais e ilustrativos.

Projeções

Todo planisfério apresenta distorções, pois é impossível representar perfeitamente uma superfície esférica em um plano. Cabe a quem confecciona o mapa, optar qual a característica será mantida,
se a forma (mapa conforme), se a distância (mapa equidistante), se a área (mapa equivalente).
Quanto à técnica empregada na sua confecção, as projeções podem ser:

Cilíndrica: O Plano de projeção é um cilindro envolvendo a esfera terrestre
Cônica: O plano de projeção é um cone envolvendo a esfera terrestre
Azimutal: O plano de projeção é um plano tangente à esfera terrestre

Tipos de Mapas

Um dos elementos fundamentais dos mapas modernos é a presença de uma escala, que permite determinar as dimensões reais dos objetos cartografados e medir distâncias (a escala é um quociente entre a medida no mapa e a medida real correspondente). Quanto maior for a escala, menor é o detalhe, ou seja, mais amplas e gerais serão as informações do mesmo.
Há também mapas que apenas representam a posição relativa dos objetos e não permitem retirar conclusões sobre as distâncias entre eles. Exemplos são os mapas do metro de muitas cidades. Outros mapas, que abdicam da fidelidade posicional dos objetos para escalar as suas representações em função de quantidades associadas a esses objetos, dizem-se cartogramas.
Como representações abstratas do mundo os mapas não são neutrais e devem ser interpretados cuidadosamente: uma das razões é a distorção provocada pela projeções cartográficas, que pode induzir em erro quanto à comparação de áreas distintas, por exemplo. Os objectos que se representam num mapa dependem do tipo de uso para o qual este é elaborado. Por exemplo, um mapa de estradas dará importância à rede viária ao representar os vários tipos de vias, os cruzamentos e as distâncias entre cidades. Um mapa geológico caracterizará do ponto de vista da geologia o solo numa dada região. Um mapa político mostrará as fronteiras ou outras divisões administrativas. Um mapa para navegação marítima dará prioridade à localização de faróis, portos e relevo submarino.
A cartografia sofreu uma verdadeira revolução com a aplicação dos Sistemas de Informação Geográfica e do Sistema de Posicionamento Global a partir do final do século XX. Esta revolução opera-se não apenas a nível da produção mas também da circulação, manipulação e utilização de informação espacial. É fácil hoje produzir um mapa personalizado no computador ou obter um outro, de qualquer local do mundo, na internet.

Classificação dos Mapas

Mapas físicos
Mapa geomorfológico - representa as características do relevo de uma região.
Mapa climático - indica os tipos de clima que atuam sobre uma região.
Mapa hidrográfico - mostra os rios e bacias que cortam uma região.
Mapa biogeográfico - aponta os tipos de vegetação que cobrem uma determinada localização.

Mapas humanos
Mapa político - aponta a divisão do território em países, estados, regiões, municípios.
Mapa econômico - indica as atividades produtivas do homem em determinada região.
Mapa demográfico - apresenta a distribuição da população em determinada região
Mapa histórico - apresenta as mudanças históricas ocorridas em determinada região.
Mapa rodoviário - estuda as rodovias e as estradas de um país.
Mapa topográfico - estuda o relevo em níveis de altura (também inclui os rios mais importantes do local).

Elementos de Um Mapa

Título: nome que indica o que o mapa está representando, contendo informações como o recorte espacial, o período de tempo e a temática em geral.
Escala: informação de quantas vezes o terreno real (no caso a Terra ou parte dela) foi reduzido em relação ao mapa;
Legenda: identifica os símbolos e as cores usados no mapa.
Orientação: aponta no mapa o rumo da rosa-dos-ventos
Fonte: entidade responsável pela realização do mapa

Instituições Responsáveis pela Execução de Cartografia

Instituto Geográfico Português
Instituto Geográfico do Exército
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Instituto Geográfico e Cartográfico de São Paulo
Instituto Geográfico e Histórico da Bahia

Curiosidades

Em latim, mappa designava lenço e mappa mundi era o mundo em um lenço.

O Google Earth é um programa de computador desenvolvido e distribuído pela empresa estadunidense Google, cuja função é apresentar um modelo tridimensional do globo terrestre, construído a partir de mosaicos de imagens de satélites obtidas de fontes diversas, imagens aéreas (fotografadas de aeronaves) e GIS 3D. Desta forma o programa pode ser usado simplesmente como um gerador de mapas bidimensionais e imagens de satélite ou como um simulador das diversas paisagens presentes no Planeta Terra. Com isso, é possível identificar lugares, construções, cidades, paisagens, entre outros elementos. O programa é similar, embora mais complexo, ao serviço também oferecido pelo Google conhecido como Google Maps.
Anteriormente conhecido como Earth Viewer, o Google Earth foi desenvolvido pela Keyhole Inc, uma companhia adquirida pelo Google em 2004. O produto, renomeado de Google Earth em 2005, está disponível para uso em computadores pessoais rodando Microsoft Windows 2000, XP, Vista, 7, Windows 8 e 8.1 MAC OS X 10.3.9 e superiores, LINUX  e FreeBSD.
O programa está disponível em duas diferentes licenças: Google Earth, a versão grátis mas com funções limitadas; e o Google Earth Pro (gratuito) que se destina a uso comercial. O Google Earth Plus (R$20 ao ano), que dispunha de recursos adicionais foi cancelado em 2008 por motivos comerciais.

Um site bem legal que  possui vários mapas brasileiros: http://mapas.ibge.gov.br

Exemplo
,

Ficha-Resumo:

Denominação:
Mapa do estado da Bahia, Brasil.
Definição:
Documento que reproduz a localização de um estado, situado em um determinado País.

Caracteres Externos:
Classe: Desenho
Suporte: Papel comum; 38x49 centímetros.
Formato: Documento simples.
Forma: Original

Produto: Hondinus, Henricus (1597-1651).

Data da criação:
1630 d.C

Destinatário:
Indivíduos que necessitem de auxílio para se localizar.

Legislação aplicada mais relevante:
Ausente.

Trâmite para expedição e vigência:
Não cabe. Documento particular.

Vigência administrativa do documento:
1600 d.C – 1699 d.C, segundo os ditames e costumes do período.

Conteúdo:
Este mapa detalha o estado da Bahia no Brasil.

Ordenação de série:
Mapas históricos do Brasil.

Séries relacionadas:
Mapas do Brasil
Mapas Estaduais
Mapas Antigos

Comentário Arquivístico
Este mapa antigo, mostrando o estado da Bahia, no Brasil, é obra de Henricus Hondius (falecido em 1638), membro da famosa família holandesa de cartógrafos. Seu pai, Jodocus Hondius (1563-1612), adquiriu as chapas para o atlas de Gerard Mercator Atlas em 1604 e, em 1606, publicou uma nova edição desta obra. Henricus e seu cunhado, Jan Jannson (falecido em 1664), publicaram o Novus Atlas (Novo Atlas), em 1637. Os mapas holandeses do século XVI eram marcados por inserções ilustradas, conforme se observa neste mapa e eram, em geral, o trabalho de famílias de cartógrafos. Este Mapa encontra –se sob a tutela da Biblioteca Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro – RJ.

Referências Bibliográficas
http://www.wdl.org/pt/item/1110/#q=mapa+do+brasil+&qla=pt

Um comentário:

  1. Atividade mal executada:
    a) plágio de textos da internet;
    b) ficha inadequada.

    ResponderExcluir